O que é o ranking Lifecooler?
Mostrem-me os descontos da Lifecooler

restaurantes em Lisboa, Lisboa

No «Livro do Desassossego», Bernardo Soares exalta, assim, a capital portuguesa: «Não há, para mim, flores como, sob o sol, o colorido variadíssimo de Lisboa». Com ou sem interposto heterónimo, outros escritores para além de Fernando Pessoa tiveram nesta cidade a fonte da sua inspiração: Garcia de Resende, Camões, D. Francisco Manuel de Melo, isto para nos ficarmos pelos clássicos. Que tem, afinal, de tão inspirador? Em primeiro lugar, o sítio: um imenso estuário, recortando-se a perder de vista, com a serra da Arrábida ao fundo. Depois, a topografia. Não é só Roma que se orgulha das suas sete colinas. Lisboa sobe e desce, da Graça ao Castelo, do Campo de Santana a São Pedro de Alcântara, da Estrela à Politécnica. E, finalmente, a história. Dos fenícios, gregos e romanos, aos visigodos e mouros, todos os povos que por aqui comerciaram, guerrearam ou se fixaram, acabaram por deixar as suas marcas, umas mais evidentes, outras mais subtis. Mas Lisboa foi, também, uma cidade imperial, onde fundeavam as naus e galeões carregados com os tesouros das Áfricas, do Oriente e dos Brasis. E em cujas ruas se acotovelavam, no dizer do cronista, «muitas e desvairadas gentes». As marcas dos séculos passados e uma parte do esplendor imperial foram-se em poucos segundos, ao nascer do dia 1 de Novembro de 1755, quando o pior terramoto da sua história arrasou Lisboa. Mas nem tudo desabou e foi consumido pelas chamas. Alfama e Mouraria, afloramentos da cidade antiga, passaram a coexistir com a geométrica e luminosa Baixa Pombalina, símbolo do renascimento das cinzas de uma cidade que não se rendeu à cólera dos deuses e se reergue banhada pelas luzes da Razão. Depois, a conquista oitocentista, à custa de aterros, das margens do Tejo, do Cais do Sodré a Belém, o rasgar das Aveidas Novas, o urbanismo autoritário e monumental de Duarte Pacheco nos anos 40, a reconversão urbanística da zona oriental de Lisboa para a EXPO´98, tudo isso moldou a cidade que conhecemos. E que, tal como no tempo de Damião de Góis, é feita de muita gente e muitas culturas, onde se misturam a luz de uma cidade mediterrânica com a geometria de uma capital atlântica. Onde modernidade e tradição convivem lado a lado e o futuro já começou.

Prove os mais variados sabores nos restaurantes de Lisboa. Restaurantes típicos, restaurantes baratos e muito mais, veja aqui a seleção dos melhores restaurantes de Lisboa. Descubra as especialidades dos bons restaurantes, os restaurantes com vista e panorâmicos, os restaurantes para grupos, os restaurantes românticos em Lisboa e os restaurantes com esplanada.


Os melhores restaurantes em Lisboa, Lisboa

Restaurante Casa de Pasto

Restaurante Pharmacia

Taberna da Esperança

The Decadente Restaurante & Bar

Restaurante Sea Me - Peixaria Moderna

Restaurante Las Ficheras

The Insólito Restaurante & Bar

Restaurante Aron Sushi

PARK Bar

Café Buenos Aires

Todos os resultados de restaurantes em Lisboa, Lisboa

Receba as melhores oportunidades no seu e-mail
Registe-se agora

Boa
Vida