PORTUGAL FAZ-LHE BEM

Por Braga

Paula C.,do blogue Viver o Porto, deu um salto a Braga. Almoçou num dos restaurantes do momento, tomou café num clássico, lanchou numa confeitaria com tradição e ainda espreitou um dos espaços que mais agita a vida artística e cultural da cidade.

Ir a Braga é sempre um programa que me agrada: desde pequena que gosto dessa cidade a quem os romanos chamaram de Bracara Augusta, e à qual os meus Pais me levavam várias vezes, na altura em que tínhamos uma quinta de família lá perto. Bons tempos, esses da quinta, mas a verdade é que é desde essa altura e desde essas raízes que tenho um carinho muito especial por todo o Minho, e especialmente por Braga.

Já adulta, as idas a Braga têm sido sempre em jeito de passeio, de passagem, coincidindo a maior parte das vezes com a altura da Páscoa, época em que a cidade encarna toda a sua tradição religiosa e se veste a rigor. Fica linda.

A cidade, para além da sua história e tradição, é excelente para compras, para bem comer e ultimamente para bons programas culturais – raras são as cidades que conseguem juntar numa pequena envolvente todo o seu comércio - entre lojas mais antigas e tradicionais, a lojas modernas e alternativas - bons restaurantes, e espaços culturais por perto.

Não vou cair no erro de dar sugestões do que fazer em Braga, para isso precisaria de lá voltar com tempo. Relato apenas uma sexta-feira em que por lá estive, por poucas horas, e sem itinerário traçado (que é como gosto!) mas onde mesmo assim não deixei de sentir toda esta bonita atmosfera que tracei acima:
sente-se vida nas ruas, as pessoas são mesmo simpáticas, (quanto mais a norte, mais simpatia se encontra!) e a cidade está linda agora na primavera.
Descobri montras arrojadas, esplanadas convidativas, lojas novas, os cafés tradicionais cheios de charme e vários novos espaços de restauração e de comércio bem atrativos.
Acabei por almoçar (ao acaso, e porque já era tarde) num desses novos espaços, onde por coincidência encontrei mais gente do Porto, e onde no final ficamos todos à conversa, inclusivamente com os donos do restaurante, um jovem casal (falo do Retro Kitchen).

Não pude deixar de tomar um café n´ A Brasileira e mais tarde um carioca de limão com um pastel de nata na Confeitaria Lusitana, para marcar presença:), e tive o privilégio de conseguir entrar no Theatro Circo, que festeja a 21 de Abril o seu centenário: é um teatro lindo de morrer (em breve um post no blog:) e está com uma programação imperdível por estes dias, a começar pelo fantástico Rodrigo Leão, já com concertos esgotados.

Por último, e já em contra-relógio, parei no GNRation, uma galeria de arte e espaço de promoção das dinâmicas culturais e criativas, situada num antigo quartel da GNR, e de visita obrigatória para todos os criativos.

No regresso, várias certezas: uma é que tenho de voltar e com mais tempo, para conseguir viver Braga como deve ser, a outra é de que o nosso pequeno país é de facto bonito e merece mesmo ser bem divulgado!

A autora e o blogue
Paula C. é do Porto e apaixonada pela sua cidade. Acredita que os melhores momentos da vida muitas vezes são esses que aparecem ao virar da esquina, por isso não larga a sua Canon e gosta de partilhar no blog o que de bom acontece na sua cidade. O mar e as viagens são outras das suas grandes paixões
Blogue
Facebook

 

Textos anteriores no Lifecooler:

A Luz (do Porto)

O Azeite - ou o prazer das coisas simples

O Porto, no Dia Mundial da Fotografia

As cerejas e o Porto

Por Paula C. 2015-04-22

Receba as melhores oportunidades no seu e-mail
Registe-se agora

Boa
Vida