PORTUGAL FAZ-LHE BEM
Ver
mapa

Aldeia Oliveiras

Uma aldeia beirã com casas de xisto, bem no coração do interior português, a poucos quilómetros das praias fluviais do Malhadal, de Fróia e da Aldeia Ruiva. Cada uma das nove casas para aluguer, caracteriza-se pelo seu tipicismo. Apesar do aspecto exterior rústico, o interior destes pequenos chalés é cómodo e a decoração tende a ser moderna, com frequente recurso a cores vivas e linhas rectas.

Observações: Outros contactos: 962 235 077, ccatome@gmail.com, beirariba@gmail.com
Preço Época Alta: 70.00
Preço Época Baixa: 60.00
Acessibilidade física: Lugares de estacionamento para pessoas com deficiência
Morada: Aldeia Oliveiras
Código Postal: 6150 724 SOBREIRA FORMOSA
Tel: 963407547
E-mail: aldeiaoliveiras@gmail.com
Site: www.facebook.com/AldeiaOLIVEIRAS
Distrito: Castelo Branco
Concelho: Proença-a-Nova
Freguesia: Sobreira Formosa

Aldeia Oliveiras - Proença-a-Nova


Turismo de aldeia em casas de xisto


Cláudio Garcia

As casas de xisto da aldeia de Oliveiras são o alojamento perfeito para experimentar o silêncio do pinhal interior, saborear os produtos da terra e partir à descoberta de um património natural que integra o único geoparque da Unesco no nosso país.

Estamos no concelho de Proença-a-Nova, na Beira Baixa, distrito de Castelo Branco, a um pulo do Alentejo e a 40 quilómetros de Espanha, onde Cervantes criou D. Quixote. Por aqui também há moinhos de vento – além de praias fluviais, pontes romanas, monumentos megalíticos, sítios geológicos, árvores notáveis, miradouros, rios e ribeiras.

A vida no campo

O alojamento turístico na aldeia de Oliveiras, uma pequena comunidade de 12 habitantes, nove quilómetros a noroeste de Proença-a-Nova, deve-se a Custódio Alves Tomé. Engenheiro mecânico, 53 anos, gere um grupo de escolas de condução no distrito de Santarém. E anda há dez anos a recuperar ruínas.

Atraído por memórias da infância, começou pela residência dos avós maternos, onde os serões fluíam à volta de uma lareira aberta no chão, com histórias e canecas de café. Hoje disponibiliza oito casas, com capacidade para receber de duas a seis pessoas.

Com a serra de Alvelos a norte e o Tejo a sul, tudo à volta são montes e pinhais. A estadia não se limita a recompensar o olhar e por cortesia da gerência não falta aconchego para o estômago dos hóspedes: pão e azeite regional, queijo típico, água-pé e medronho.

A Casa da Cancela – onde viviam os avós de Custódio Tomé – herdou o nome da barreira antes usada para afastar os lobos à noite. Encostado a uma das paredes exteriores fica o antigo chafariz comunitário, de quando a água não era canalizada, as estradas progrediam em terra batida e a iluminação dependia de velas e candeeiros a petróleo.

Os tempos mudaram, mas o quotidiano continua pontuado pela mesma paz, harmonia e comunhão com a Natureza, longe do rebuliço da cidade. Não é disto que está a precisar?

Dois quartos de casal, sala com lareira e uma kitchenette compõem o espaço da Cancela, beneficiado por aquecimento central e ar condicionado. Nas traseiras há um amplo quintal com árvores de fruto e meios para cozinhar ao ar livre. É daqui que se entra para o núcleo de xisto de Oliveiras, onde se situam os restantes alojamentos.

2008-12-03
Seja o primeiro a avaliar
Receba as melhores oportunidades no seu e-mail
Registe-se agora

Boa
Vida