PORTUGAL FAZ-LHE BEM

de 17
ver todos
Ver
mapa

Restaurante da Herdade do Esporão

de 17
ver todos

No restaurante da Herdade do Esporão sobressaem a simplicidade dos sabores, a sazonalidade e a frescura dos ingredientes. Propõem uma cozinha exclusiva, em harmonia com a natureza, aliando modernidade e tradição. As raízes ancestrais da gastronomia do Alentejo cruzam-se com uma abordagem contemporânea. A oferta gastronómica baseia-se em menus, concebidos por forma a proporcionar experiência completa e total. Os pratos são elaborados com produtos da Herdade e de produtores locais, acompanhando de perto o ciclo de cada um e por isso, os menus estão sujeitos a alterações frequentes.

Acessos: A partir de Lisboa, seguir pela auto-estrada do Sul, cortar na indicação de Évora e seguir pela A6. Em Évora seguir as indicações para Reguengos de Monsaraz.
Ambiente e decoração: Decoração requintada. Nas paredes podemos admirar algumas ilustrações, de artistas conhecidos, que produziram os rótulos para tão precioso néctar.
Dia(s) de Encerramento: Segundas
Lotação: 80
Observações: Encerra à segunda-feira de novembro a março.
Preço Médio: 50.00
Tipo de Restaurante: Portuguesa
Horário de Funcionamento: Das 12:00 às 15:00.
Área para fumadores: Zona Fumadores + Zona Não Fumadores
Acessibilidade física: Entrada e acesso à sala possível por pessoas em cadeira de rodas, WC adaptado
Detalhe de acessibilidade física: Do parque ao restaurante não existem obstáculos a utilizadores em cadeiras de rodas. WC adaptado.
Morada: Herdade do Esporão - Apartado 31
Código Postal: 7200 999 REGUENGOS DE MONSARAZ
Tel: 266509280
E-mail: reservas@esporao.com
Site: www.esporao.com
Distrito: Évora
Concelho: Reguengos de Monsaraz
Freguesia: Reguengos de Monsaraz

Herdade do Esporão - Reguengos de Monsaraz


Vinhas espalhadas pela planície que se vão cruzando para apurar o sabor de um dos mais afamados vinhos alentejanos.


N'Dalo Rocha

Um projecto com pés e cabeça

Numa das saídas de Reguengos de Monsaraz encontramos uma placa a indicar o caminho para a Herdade do Esporão. Avançamos e cruzamos o portão que dá ares de arco setecentista ainda que não o seja e pasme-se: as vinhas estão em todo o lado!

São extensões quase infinitas de campos verdejantes que logram resistir ao calor abrasador do Verão alentejano. Tudo graças ao moderno sistema de rega que automaticamente vai debitando as gotas necessárias em cada pé de vinha para que a produção seja optimizada.

Ao todo, estamos rodeados por 600 ha de área plantada, que se dividem em cinco qualidades diferentes. Esporão, Perdigões, Rusga, Palmeiras e Monte, que por sua vez se repartem em castas tintas e brancas que são combinadas entre si para originarem os vinhos da herdade.

E para que o sabor e qualidade se mantenham apurados, uma pequena parcela de vinha foi destinada ao campo ampelográfico onde os enólogos testam permanentemente novos vinhos e aromas.

Este é o primeiro impacto que se tem assim que se entra no Esporão, uma herdade bem mais antiga do que possamos imaginar. Na realidade, os seus limites foram fixados no ano de 1267 e desde essa época que permanecem mais ou menos idênticos.

Como testemunhos, três marcos importantes resistiram à erosão do tempo. O arco, a Ermida de Nossa Senhora dos Remédios com os frescos da capela-mor e a torre, emblema que surge nos rótulas das garrafas, assumida como logotipo institucional da marca Esporão.

A adega e as caves

É nesta parte da unidade de produção que são recebidos e moídos os cachos de uvas que irão ser transformados em mosto. Porém, já não se usam os lagares como antigamente, quando após a vindima os homem pisavam o vinho em festa e romaria. Agora são poderosas mós em forma de parafuso que espremem toneladas de cachos quase em simultâneo em apenas poucos minutos.

A adega, construída em 1987, continua ainda a ser uma das mais modernas da Europa. Enormes recipientes que armazenam alguns milhares de litros de mosto em estágio de fermentação. Após esta fase, o vinho é transferido para o estágio em barricas de madeira, localizados na cave.

A cave do Esporão apresenta uma enorme galeria em cimento em forma de abóbada, com uma extensão superior a cem metros. Nela, repousam um sem número de pipas alinhadas em filas paralelas. Dentro conservam milhares de litros desse líquido precioso que será mais tarde engarrafado.

2003-07-15
Seja o primeiro a avaliar
Receba as melhores oportunidades no seu e-mail
Registe-se agora

Boa
Vida