Quantcast
PORTUGAL FAZ-LHE BEM

de 1
ver todos

Paisagem Protegida das Lagoas de Bertiandos e S. Pedro de Arcos

de 1
ver todos

Esta paisagem protegida, classificada como tal em Dezembro de 2000, é constituída por zonas húmidas, bosquetes florestais de vegetação natural, diversas espécies vegetais raras ou em vias de extinção, pastagens e áreas agrícolas. As características do local tornam-na um habitat particular para várias espécies de fauna. Abrange uma área de 350 hectares entre o rio Lima e as serras de Arga e Cabração. As lagoas ficam situadas nas margens do rio Estorão.

Acessos: Freguesias de Bertiandos, S. Pedro de Arcos, Estorãos, a 4 Km de Ponte de Lima e a 19 Km de Viana do Castelo, entre o Rio Lima (Sul) e as Serras de Arga e Cabração (Norte), com acesso pela EN 202.
Área: 350 ha
Percursos pedestres: Rotas: Rota do Solar, Rota do Cruzeiro, Rota da Azenha. Percursos: Percurso da Lagoa, Percurso das Tapadas, Percurso do Rio, Percurso das Veigas, Percurso da Água, Percurso do Rio Lima.
Serviços disponíveis: Centro de Interpretação, Parque de Campismo, Visitas Guiadas
Código Postal: 4990 062 PONTE DE LIMA
Tel: 258900400
E-mail: lagoas@cm-pontedelima.pt
Site: www.lagoas.cm-pontedelima.pt
Distrito: Viana do Castelo
Concelho: Ponte de Lima
Freguesia: Ponte de Lima

Lagoas de Bertiandos e S. Pedro de Arcos


Em Ponte de Lima, descobrimos uma experiência única de sons e imagens.


Álvaro Curia

Ninguém diria que existe este local no nosso país. Ou pelo menos ninguém que passe habitualmente por Ponte de Lima, numa conexão apressada entre cidades do Norte e não tenha tempo para partir à descoberta de um tesouro natural em pleno coração do Minho. A área de paisagem protegida das Lagoas de Bertiandos e São Pedro de Arcos é um autêntico desafio à nossa capacidade de sonhar. Vejamos os factos: uma lagoa com áreas circundantes de inundação permanente, outra com áreas de inundação sazonal; o rio Estorãos a passar aqui e ali, bordando as margens com água muito límpida. Por todo o lado o som que transparece é o da bicharada local. Não se esqueça que estamos num pântano e como tal sapos e rãs é o que mais há e o seu coaxar cala-se ao mínimo barulho humano, funde-se com o cigarrar das moitas e o ondular do vento nas folhagens. Mas também a lontra, a tela, o lagarto-de-água, a cegonha-branca, o falcão-peregrino, a cotovia-dos-bosques… Espécies que fazem as delícias dos apaixonados pela fauna nacional e que nos permitem ter uma noção muito próxima do que estamos a dizer quando falamos da rica biodiversidade existente em Portugal.

Para além destes e para quem se quer atrever mais entre os campos, há a toupeira-de-água, o gato-bravo e os ratos-do-campo, espécies que representam já uma ameaça de extinção e daí a urgência em mantê-las vivas no seu habitat natural. Perdoem a enumeração e a sublimação da Natureza mas é que quem vai a Bertiandos percebe a importância de existirem estes pequenos paraísos. Ali, nas margens do rio Estorãos, podemos imaginar as ninfas a deitarem os seus cabelos sobre os bancos de areia, à medida que atravessamos uma das passadeiras de madeira colocadas com o intuito de facilitar a visita deste paraíso ecológico. São autênticas pontes por todo o espaço, perfeitamente conservadas e que permitem uma visão total das lagoas e do terreno circundante. Se as percorrermos com calma, ganhamos o dobro. A sugestão é de que se demore por estes caminhos de madeira, que vá admirando as cores e os cheiros da paisagem. Há até espaços criados de propósito para descansar admirando a beleza local, que tornam esta visita ideal para todas as idades.

2004-03-16
Seja o primeiro a avaliar
Receba as melhores oportunidades no seu e-mail
Registe-se agora

Boa
Vida