PORTUGAL FAZ-LHE BEM

de 21
ver todos
Ver
mapa

Tasca do Montinho

de 21
ver todos
Ambiente e decoração: Rústico.

Num espaço típico e de gestão familiar, experimente o melhor que a cozinha alentejana tem para oferecer. A especialidade da casa é a perdiz estufada mas para a provar é necessário encomendar.

Dia(s) de Encerramento: Segundas
Especialidades: Peixe: Açorda com Bacalhau; Carne: Sopa de Tomate com Carne Fria, Migas de Espargos, Migas de Miolos, Arroz de Lebre, Costeletas de Borrego Grelhadas;
Lotação: 50
Necessidade de reserva: Aconselhável
Observações: Aceita reservas para grupos até 20 pessoas mas apenas durante a semana.
Período de Férias: Segunda quinzena de Agosto e primeira de Setembro.
Preço Médio: 13.00
Tipo de Restaurante: Portuguesa, Regional
Horário de Funcionamento: Das 12:00 às 15:00 e das 19:00 às 22:00;
Morada: Rua do Comércio 1º
Código Postal: 7480 028 ALCÓRREGO
Tel: 242412954
Site: www.facebook.com/tascadomontinho
Distrito: Portalegre
Concelho: Avis
Freguesia: Alcórrego

Tasca do Montinho – Avis


Em nome da aldeia


Alda Rocha

A poucos quilómetros de Avis, corte-se para Alcórrego e continue-se até se tropeçar no restaurante, bem no meio da estrada. A cozinha de Maria José vale bem o passeio.

Não podia chamar-se de outro modo que não faria jus à história do lugar. A Tasca do Montinho é filha da terra que lhe dá o nome, passo a passo em todos os momentos que culminam no restaurante que é hoje.

Os petiscos de Maria José começaram a ganhar fama no Mini-Mercado José J. Pexirra, do pai de Joaquim Fava. A procura era tanta, numa casa com outras vocações, que acabaram por dedicar às competências da cozinheira um espaço próprio. E assim nascia logo em frente, em Abril de 1997, a Tasca do Montinho.

Entretanto, nas voltas da vida, já Maria José e Fava se tinham tomado de amores. Assim continuam, ele a gerir a casa e a servir clientes, ela de volta dos segredos da comida. Não que os guarde só para si, mas nem no livro “Os Petiscos do Montinho” fez grandes revelações. Os ingredientes estão lá todos, mas as quantidades estão omissas em boa parte das receitas. Maria José gosta de fazer as coisas a olho.

Casa acolhedora

O tom amarelo das paredes a contrastar com o tijolo à vista torna o ambiente acolhedor. Mesmo em dias de semana ao almoço, a casa é concorrida e todos se cumprimentam como velhos conhecidos.

Ao fim-de-semana recomenda o bom senso que se reserve mesa, pois aos locais juntam-se moradores de outras bandas que aqui gostam de vir comer. Muitos vêm de longe, que a fama de boa mesa não é de agora. Se a espera se alongar, peça-se uns petiscos no bar, antecipando as entradas.

Na lista predominam os sabores alentejanos, como torresmos, queijo de ovelha, paio de porco preto, secretos e febras de vinagrete… E ainda não saímos das entradas. Não se justifica grande indecisão, pois um tabuleiro recheado de pratinhos vem à mesa para que os olhos escolham mais céleres. Pode ser grão com bacalhau desfiado, linguiça assada, farinheira frita (de porco preto, claro está), ovos mexidos com espargos; depende da inspiração do dia.

2009-12-14
Seja o primeiro a avaliar
Receba as melhores oportunidades no seu e-mail
Registe-se agora

Boa
Vida