Quantcast
PORTUGAL FAZ-LHE BEM

29º

de 196
ver todos

Restaurante Salta o Muro

29º

de 196
ver todos

Situado junto à lota do peixe e é uma tasca bem típica de Matosinhos, onde se pode petiscar ao balcão mas também abancar nas mesas corridas para algo mais substancial.

Dia(s) de Encerramento: Domingos
Especialidades: Peixe: Peixe frito; Sardinhas; Carapaus; Lulas; Linguadinhos; Caldeirada de peixe.
Preço Médio: 20.00
Tipo de Restaurante: Portuguesa
Horário de Funcionamento: Das 12:15 às 15:00 e das 19:30 às 23:00
Área para fumadores: Não Fumadores
Morada: Rua Heróis de França 386
Código Postal: 4450 155 MATOSINHOS
Tel: 229380870
E-mail: moreiraepalmira1982@gmail.com
Site: www.facebook.com/saltaomuro82/
Distrito: Porto
Concelho: Matosinhos
Freguesia: Matosinhos

Salta o Muro - Matosinhos


Simpatia e bacalhau em ambiente castiço.


Mafalda César Machado

Passando na rua Heróis de França, onde hoje arrumar um carro se torna um verdadeiro quebra-cabeças, entre as múltiplas grelhas fumegantes, a maior concentração de pessoas localiza a casa “Salta o Muro”. Nome peculiar, que, como tudo, tem uma razão de ser.

Começou a sua actividade como uma pequena mercearia que vendia desde fruta a acessórios de pesca, vinho da pipa e petiscos que ficaram famosos. Como fica junto ao Porto de Leixões, era por uma escada que os homens do mar se abasteciam de víveres enquanto se entretinham com os petiscos bem regados. Só que a Capitania do Porto de Leixões proibiu a escada. E a mercearia logo passou a casa de pasto, que em memória ficou a chamar-se “Salta o Muro”.

Hoje ainda se notam os traços da mercearia nas prateleiras bem conservadas das paredes, nos garrafões à vista, tudo recentemente refrescado por uma pintura de cor clara. As mesas ocupam em pleno o pouco espaço disponível, com a particularidade de ter, em vez de cadeiras, bancos corridos de madeira.

O ambiente não pode ser mais simpático. Os proprietários, o casal Moreira, distribuem-se, como é costume neste tipo de situação. D. Palmira a comandar na cozinha e o marido na sala. A servir à mesa, três jovens que conseguem dar conta do movimento intenso da casa, num serviço mais que atencioso, familiar e divertido, que recompensa a espera, por vezes longa, mas passível de ser atenuada com umas tiras de presunto, cortadas na altura, e uma broa especial, que são servidas no balcão da exígua entrada e em época de veraneio através da janela que dá para a rua.

Peixe do mar grelhado e bacalhau

Venham agora as sardinhas, uma das marcas da casa, na época delas. Gordas e suculentas, em dose farta, bem grelhadas em sal grosso, a acompanhar com saborosas batatas a murro, envoltas em azeite com alho e coentros e, claro está, uma bela salada de pimentos assados na grelha com alface e cebola, para quem quiser e, nota relevante, servida em travessa própria, mantendo a frescura que lhe é devida.

A broa mantém-se à mesa. O bacalhau, posta de tamanho respeitável, é o outro petisco obrigatório do Salta o Muro. Vem grelhado das brasas com as mesmas batatas a murro, o indispensável ovo cozido, tudo regado com azeite de primeira.

Todos os dias há peixe fresco para grelhar ou, se for o caso, para fritar. A caldeirada, apenas ao fim de semana, merece a prova, assim como os filetes de polvo e o arroz do mesmo. As sobremesas, bem visíveis no balcão da entrada, contam com os bolos tradicionais e, na sua época, as rabanadas são excelentes.

Esta casa de movimento intenso, o ambiente descontraído e peculiar, é local que se recomenda, sem nenhuma hipótese de se marcar mesa, como já se percebeu, e onde apetece ficar, apesar da pressão visual dos muitos pretendentes a um lugar vago.
E ficam duas notas finais. Uma para o vinho, pode escolher entre um Duas Quintas e um Bons Ares, entre outros, boas companhias para as referidas sardinhas, e a outra para o requinte do ar condicionado e da irrepreensível e perceptível limpeza.

É assim, com gosto, que se pode saltar várias vezes este muro.

2007-01-17
Seja o primeiro a avaliar
Receba as melhores oportunidades no seu e-mail
Registe-se agora

Boa
Vida