Quantcast
PORTUGAL FAZ-LHE BEM

de 78
ver todos

Restaurante Cozinha de Santo Humberto

de 78
ver todos

Restaurante típico, adaptado de uma antiga adega onde são visíveis os locais onde se encostavam as talhas do vinho, com os poços e a decoração alusiva à caça. Reabriu em maio de 2016 com uma nova gerência e equipa.

Acessos: A 100 metros da Praça do Giraldo.
Acessos para deficientes: Não
Ambiente e decoração: Ambiente acolhedor, com música ambiente e com decoração alusiva a Santo Humberto.
Bar/Sala de espera: Bar
Dia(s) de Encerramento: Terças
Especialidades: Couvert: Pão; Azeite; Manteiga Composta; Azeitonas Marinadas.Entradas Choquinhos salteados; Cogumelos à Santo Humberto; Mousse de Javali; Batata brava; Camarão grelhado; Tortellinis de VieiraPeixe: Sopa de cação; Bacalhau à Gomes de Sá; Bacalhau confitado com Queijo e Puré de Castanhas; Robalo com arroz à Bulhão Pato e molho Beurre Blanc.Carne: Carré de borrego com puré de favas; Lombinho de porco; Bochechas de porco; Empada de caça; Leitão à Santo HumbertoDoces: Pêras bêbadas e panna cotta de Hortelã da Ribeira; Arroz-doce de alecrim e crocante de canela; Mil-folhas de maçã e queijo chèvre com; Gelado de requeijão e abóbora; Pudim de marfim.
Estacionamento: Sim
História: Antiga adega situada na parte judia da cidade que foi convertida em restaurante em 1971.
Horário de Encerramento: 22:00
Lotação: 60
Necessidade de reserva: Aconselhável.
Período de Férias: Encerra na terceira semana de Novembro.
Preço Médio: 30.00
Recomendado para grupos: Sim
Sanitários para Deficientes: Não
Serviços: Ar condicionado
Tipo de Restaurante: Portuguesa, Regional
Horário de Funcionamento: Das 12:30 às 15:30 e das 19:30 e as 22:30.
Acessibilidade de deficientes motores: Acessibilidade fácil
Morada: Rua da Moeda 39
Código Postal: 7000 513 ÉVORA
Tel: 266701874
E-mail: cozinhasthumberto@gmail.com
Site: www.facebook.com/Restaurante-Cozinha-de-Santo-Humberto
Distrito: Évora
Concelho: Évora
Freguesia: Santo Antão

Restaurante Cozinha de Santo Humberto - Évora


Uma velha adega de vinho transformou-se num dos melhores restaurantes de Évora.


N'Dalo Rocha

Fica em pleno coração de Évora, na Rua da moeda, um dos melhores restaurantes da cidade. Cozinha de Santo Humberto, o padroeiro da caça, tem portas abertas desde 1971. 

Na época, e até duas décadas antes, aquela rua de pedras de calçada era conhecida pelas suas adegas. Por algum motivo especial que ninguém sabe explicar bem, o negócio do vinho concentrou-se ali e quase porta sim, porta sim, havia adegas com enormes talhas onde se conservava e vendia o dito néctar.

Curiosamente, a Cozinha de Santo Humberto não escapava à lógica e no espaço hoje ocupado pelo restaurante, labutou também a Adega dos Almeidas onde o vinho era igualmente vendido em talhas de barro.

Descendo da Praça do Giraldo à Rua da Moeda, não é fácil imaginar o negócio do vinho que ali se gerava há 50 anos, até porque hoje encontramos os mais diversos estabelecimentos comerciais.

O restaurante é discreto e quase passa despercebido, afinal trata-se de um prédio branco com uma castiça barra amarela. Da rua vê-se apenas a gradeada janela em forma de arco e uma porta com ombreira em granito.

O toque distintivo é dado pelo pequeno painel de azulejos que se encontra sobre a ombreira, mesmo por debaixo do candeeiro, onde está escrito "Cozinha de Santo Humberto" e desenhado o santo com o mesmo nome, numa gravura alusiva à caça. É aqui mesmo, não há nada que enganar.

A decoração é em estilo rústico e de bom gosto. Do tecto atravessado pelos longos e grossos barrotes de madeira pendem enormes chaleiras de alumínio, muito alinhadinhas. Na sala do lado, são frigideiras.

Porém, o pormenor mais delicioso, para não lhe chamar feitio, são as formas côncavas e irregulares que as paredes revelam. É que tendo sido esta cave uma adega, o local foi adaptado o melhor possível para albergar as tais talhas de vinho. Tudo uma questão de espaço, mas que volvidos todos estes anos, não deixa de criar um efeito curioso, que combina bem com o chão de tijoleira.

Quanto à comida, para aqueles que são verdadeiramente bons garfos, aconselha-se a sopa de cação como entrada, senão, apenas uma linguiça frita pode bastar. Os pratos tradicionais da região são os que têm mais procura. As migas de carne com porco, as grelhadas de alguidar, o lombo de porco preto ou o borrego assado no forno estão na ordem do dia.

Porém, entre Novembro até à altura da Páscoa, há pratos de caça como perdiz estufada, lebre com feijão branco ou javali. Para terminar, experimente a doçaria conventual e não deixe de provar a sericaia ou a barriga de freira. Para acompanhar tamanho manjar, o restaurante dispõe de uma boa carta de vinhos. Bom apetite.

REPORTAGEM ACTUALIZADA EM JUNHO DE 2009

2003-12-23
Seja o primeiro a avaliar
Receba as melhores oportunidades no seu e-mail
Registe-se agora

Boa
Vida