Quantcast
PORTUGAL FAZ-LHE BEM

de 165
ver todos

Restaurante Malagueta Afrodisíaca

de 165
ver todos

Se o nome é tórrido e irreverente, o espaço também é. Se o nome nos transporta para outras paragens extravagantes e exóticas, o espaço também. Aqui, excitam-se os sentidos através do paladar e do olfacto e viaja-se para outros locais através da degustação de pratos típicos (sem sair de Leiria). Um espaço intimista, decorado em tons e cores quentes, onde a iluminação escasseia e os motivos orientais e africanos misturam e fundem vários apontamentos para criar um estilo muito próprio e particular. Aludindo a vários universos, o restaurante Malagueta Afrodisíaca acaba por gerar um universo só seu.

Dia(s) de Encerramento: Não encerra
Especialidades: Peixe: Caril de Gambas; Camarões Eróticos; Cherne com Molho Mexicano. Carne: Carne com Frutos; Frango com Espinafres; Korma.
Estacionamento: Sim
Horário de Encerramento: 00:00
Lotação: 30
Observações: Ar condicionado
Período de Férias: 24 e 25 de Dezembro.
Preço Médio: 15
Horário de Funcionamento: Das 19:00 às 24:00.
Acessibilidade física: Lugares de estacionamento para pessoas com deficiência, Entrada e acesso à sala possível por pessoas em cadeira de rodas
Morada: Rua Gago Coutinho 17
Código Postal: 2400 146 LEIRIA
Tel: 244831607
E-mail: malaguetaafrodisiaca@gmail.com
Site: www.facebook.com/malaguetaafrodisiaca
Distrito: Leiria
Concelho: Leiria
Freguesia: Leiria

Malagueta Afrodisíaca – Leiria


Romance e cozinha do mundo


Cláudio Garcia

Se fosse um filósofo, este restaurante seria Sócrates, o cidadão do mundo. Da margem do Lis, navega até aos quatro cantos da cozinha étnica e regressa com gastronomia de subir ao céu. Como convém ao romantismo, o ambiente é intimista. E a viagem flui com sangria e outros especiais, ao som de chill out e lounge music.

Enquanto habitante do centro histórico de Leiria, o Malagueta Afrodisíaca respira apropriadamente na Rua Gago Coutinho. Tal como o lisboeta que inaugurou a travessia aérea do Atlântico Sul, unindo dois continentes, a ementa idealizada por Joel Monteiro contribui há nove anos para aproximar culturas, constituindo um achado nestas paragens.

Cuidado, picante!

Este é um dos casos em que o nome conta. Para guiar os comensais – cabem 32 numa sala orgulhosamente pequena – a malagueta classifica o paladar na lista de sugestões. Fique atento. E se não é dado a experiências picantes afaste-se do korma, o grau máximo da ousadia, com três sinais vermelhos. Frango bem temperado, apresenta-se com amêndoas, passas e arroz basmati.

Antes da escolha, porém, cumpre-se o ritual. A chegada a bordo costuma obedecer ao cocktail. Sem fugir às responsabilidades, escolhemos um mojito, mas também ficaríamos bem com uma caipirinha ou margarita, não saindo, no entretanto, da latina América. A vasta selecção de bebidas é uma das qualidades da casa. Da óptima sangria tinta, que nos irá acompanhar à refeição, até aos sumos naturais com e sem álcool, sem esquecer os diversos chás especiais e cafés, dos quais se destaca o Afrodite Coffee.

Liberdade para namorar

Mais do que o nome, afrodisíaco é o conceito. Os tons quentes e a média luz criam o cenário para um jantar romântico: intimista, requintado, acolhedor. À nossa frente a carta propõe os ingredientes adequados, além de uma verdadeira globalização gastronómica: Índia, Brasil, México, Itália, França, China, há influências de toda a parte, replicando o destino da pimenta-malagueta, que os portugueses descobriram na Amazónia e transplantaram para África e Oriente.

Superadas as entradas, avançamos para o principal. Reclamam atenção as vieiras à Picasso, com puré de cenoura e coco, tal como o caril de gambas à indiana e os camarões eróticos, em molho de soja, com cebola, alho francês e manga. No entanto, opta-se pelo peixe à Vera Cruz, afagado em tomate, pimentos e azeitonas, juntamente com a muito apreciada carne com frutas, isto é, lombinhos de porco em chili acompanhados por amêndoa, batata torneada salteada e banana frita.

Do que elas gostam

A média etária ronda os 30 a 40 anos. Os casais são frequentes. Mas os jantares de grupo no feminino também. A originalidade e atenção ao detalhe do restaurante parecem ecoar na sensibilidade das mulheres, que são mesmo a parte maior da clientela, diz a gerência.

2008-12-31
Seja o primeiro a avaliar
Receba as melhores oportunidades no seu e-mail
Registe-se agora

Boa
Vida