PORTUGAL FAZ-LHE BEM

de 20
ver todos
Ver
mapa

Restaurante São Rosas

de 20
ver todos

Situado junto à Pousada de Estremoz, deve o nome à célebre lenda do milagre das rosas e da Rainha Santa Isabel. Margarida Cabaço, a proprietária, gere este local de bom gosto desde 1990, que, ao longo dos anos, conquistou merecida fama, ocupando hoje um lugar de honra na gastronomia portuguesa. O ambiente é de grande conforto e sobriedade, destacando-se ainda um terraço com vista sobre a muralha. A cozinha dedica-se, não em exclusivo mas com evidente preponderância, ao Alentejo, recorrendo aos melhores produtos que esta região oferece, como o porco preto, o borrego, os enchidos e as ervas aromáticas.

Acessos: Pela A6 sair à indicação de Estremoz, e depois do centro histórico onde se encontra o castelo. O restaurante situa-se por detrás da Igreja de Santa Maria. Pode estacionar o carro no interior das muralhas, pois existe cerca de 200 lugares disponíveis.
Acessos para deficientes: Não
Ambiente e decoração: As paredes caiadas de branco e o chão de tijoleira, tornam o espaço rústico dando-lhe um ambiente acolhedor.
Bar/Sala de espera: Bar e Sala de Espera
Dia(s) de Encerramento: Segundas
Especialidades: Entradas: Enchidos de porco preto; Farinheira assada; Pasta de chouriço; Espargos bravos com ovos; Cogumelos recheados com gambas. Sopas: Açorda alentejana e Sopa de tomate com peixe. Peixe: Bacalhau assado e peixe grelhado. Carne: Carne de porco à alentejana; Carnes grelhadas; Ensopado de borrego; Porco preto grelhado; Entrecosto; Chispe de Porco; Borrego assado no forno; Tarte de perdiz; Lombo de porco com ameixas; Burras e Pombo bravo à Glória. Doces: Encharcada; Pão de ló de Alfeizeirão; Pêras com chocolate; Papos de Anjo e Leite creme queimado.
Estacionamento: Sim
História: Restaurante situado em casa de habitação dos antigos fundadores de Estremoz e dos serviçais do castelo. Fundado em 1994, por quem aprecia os sabores da cozinha verdadeiramente portuguesa.
Horário de Encerramento: 22:30
Lotação: 40
Necessidade de reserva: Aconselhável.
Observações: Encerra para férias na 1ª quinzena de Janeiro e Julho.
Período de Férias: Encerra na primeira quinzena de Julho e na primeira de Janeiro.
Preço Médio: 30.00
Recomendado para grupos: Não
Sanitários para Deficientes: Não
Serviços: Ar condicionado
Tipo de Restaurante: Portuguesa, Regional, Alentejana
Horário de Funcionamento: das 12:45 às 15:30 e das 19:45 às 22:30
Área para fumadores: Exclusivamente Fumadores
Morada: Largo Dom Dinis 11
Código Postal: 7100 509 ESTREMOZ
Tel: 268333345
E-mail: margaridamateuscabaco@hotmail.com
Site: www.saorosas.com
Distrito: Évora
Concelho: Estremoz
Freguesia: Santa Maria

São Rosas - Estremoz


Excelência para além do Tejo.


Mafalda César Machado

É no lugar mais nobre de Estremoz que há cerca de 18 anos Margarida Cabaço teve a coragem de fazer o seu restaurante. Não foi preciso muito tempo para que no passa-a-palavra ficasse conhecido da classe «gourmet» portuguesa. E não só. A clientela espanhola é bem visível no aparato do parque automóvel, frente à pousada vizinha. 

Fenómeno mais raro - pois abrir um restaurante não é propriamente um caso excepcional - foi mantê-lo dentro do padrão de qualidade imprimido desde o início. Para ser mais clara, não foi bem mantê-lo mas, melhor ainda, melhorá-lo.

Quer isto dizer que hoje, quase a chegar às duas décadas, o São Rosas é uma referência inevitável na gastronomia portuguesa. E é na tradição nacional, na riqueza, passe a contradição, da simplicidade da cozinha tradicional alentejana, que se baseia.

É, efectivamente, na qualidade dos produtos marcantes do Alentejo - e falamos do porco preto, do borrego, dos enchidos e das ervas -, que tudo começa. Segue-se a triagem na selecção dos pratos, que serão, não só, nem apenas, os mais representativos mas que constituem uma escolha equilibrada e elucidativa da ideia do que pode ser a oferta de um bom restaurante alentejano.

São muitas as escolhas que o São Rosas manteve ao longo de todo este tempo, tendo, pouco a pouco, vindo a fazer uma incursão em pratos fora da área de raiz tradicional. Mas também temos que pensar que no Alentejo pode apetecer, de vez em quando, variar com, por exemplo, um rosbife com molho de paté ou um tornedó com molho à escolha. Nada que destoe do equilíbrio da ementa. Pelo contrário.

À moda do Alentejo

Sendo assim, vamos entrar. A casa, recuperada numa linha clássica, desperta logo vontade de ficar. O conforto é óbvio. Mesas de boa dimensão, cadeiras confortáveis, tudo posto a rigor. À direita, um espaço de espera, o que é frequente, devido à afluência, com bar de apoio.

Seguindo uma selecção lógica, refiram-se, então, as entradas: cá está a farinheira assada, o chouriço alentejano, os enchidos tradicionais de porco preto, num terceto de excepção. Quente, as tais Amêijoas à Bulhão Pato, os Cogumelos com alho e duas versões de omelete na textura cremosa devida. 

2006-09-27
Seja o primeiro a avaliar