Quantcast
PORTUGAL FAZ-LHE BEM

S.Barre, o poder da barra

O ballet ao seu alcance

Sempre quis fazer ballet mas como já não tem seis anos acha que é tarde e que não há lugar para si? Isso podia ser verdade até há pouco tempo. Mas agora acaba de chegar a Portugal o S.Barre, uma modalidade de fitness que junta ballet, pilates e yoga, uma combinação que promete acordar a bailarina adormecida que se esconde nessa péssima postura em que se senta ao computador. Pescoço esticado, costas direitas, barriga para dentro, pés em posição: vamos a isto!

Boa figura

A modalidade acaba de chegar aos centros Vivafit (25 em todo o país) e nós fomos experimentar a primeira aula. O S.Barre (S de Shape, modelar, dar forma) consiste numa adaptação dos movimentos e posturas do ballet a uma aula de fitness. Sabe aqueles músculos alongados das bailarinas, aquela postura elegante, os movimentos ágeis e fluidos, a força cheia de leveza? Ok, talvez não seja possível chegar aos calcanhares (e sobretudo às pontas dos pés) de uma primeira bailarina mas podemos tirar partido de vários exercícios específicos para atacar aquelas zonas vulneráveis e críticas do corpo feminino (glúteos, barriga, pernas).

Somos acolhidos no centro Vivafit Estefânia, na Rua Passos Manuel, em Lisboa, pela simpatia da coordenadora técnica, Tália Moreira. É ela que nos mostra os cantos à casa e nos confirma que, sim, o Vivafit continua a ser um ginásio só para mulheres mas em mais de uma década (o conceito nasceu em 2003) muita coisa mudou. É verdade que mantém um ambiente recatado e personalizado (em comparação com outros ginásios mais massificados); por outro lado, soube rejuvenescer e acompanhar o ritmo imparável do mundo do fitness.

Entramos no estúdio onde a professora Sofia se prepara para dar a primeira aula de S.Barre a um grupo de alunas suas conhecidas. São frequentadoras da aula de pilates e isso, como se verá, será de grande ajuda. Sofia Simões iniciou-se no ballet aos 4 anos pelo sistema de ensino da Royal Academy of London. É formada pela Escola Superior de Dança, licenciada pela Faculdade de Motricidade Humana e tem ainda a formação do Pilates Institut. Tudo isto se traduz num porte gracioso, numa figura irrepreensível.

A barra

A sala à média luz é relaxante e ajuda a descontrair. A aula tem início com um aquecimento baseado em movimentos suaves que reconhecemos do ballet. Estamos de frente para o espelho e a elegância da professora inspira-nos a tentar imitar a leveza dos gestos.

Após o aquecimento, voltamo-nos para a grande protagonista desta modalidade: a barra de apoio. Trata-se de uma estrutura com rodas que é colocada na horizontal, no meio da sala. As alunas distribuem-se pelos dois lados da barra, desencontradas entre si e, de preferência, com o mesmo número de cada lado para manter o equilíbrio da estrutura.

Adotamos a posição clássica da bailarina, de lado em relação à barra, mão apoiada mais avançada do que o ombro, corpo direito, pés na primeira posição (calcanhares unidos, pés afastados). A partir daqui seguem-se várias sequências de exercícios que vão trabalhar os gémeos (barriga da perna), os adutores (parte interna da coxa), e todos os músculos das pernas, bem como abdominais e glúteos que devem permanecer contraídos. Após uma breve explicação, a sequência é fluida e acompanhada de música.

Toda a classe vai fazendo as insistências com notável afinco e resistência. Nota-se que as alunas estão habituadas à voz doce mas firme de Sofia que imprime à aula dinamismo e sentido do dever. Ninguém desiste e uma bailarina muito menos.

Ao fim de poucos minutos, estamos aflitos dos gémeos. As várias insistências com as pernas dobradas mantendo os calcanhares elevados fazem arder os músculos mas não queremos, de maneira nenhuma, dar parte de fracos. Começamos a apanhar o ritmo, a trabalhar com a respiração para aguentar as séries e não esticar as pernas quando é suposto mantê-las dobradas e insistir, insistir…

Braços para que vos quero

Estávamos nós a pensar que os membros superiores eram pouco trabalhados nesta aula (e a matutar no famoso músculo do adeus que agora anda escondido mas depois, quando chegar o verão, tem de acenar de alças), quando Sofia manda fazer flexões na barra. Ah pois. (Aqui a sincronização entre os dois lados da barricada tem de estar perfeita para que a barra não deslize). Ficamos mais descansados: bíceps e tríceps não ficam esquecidos (para depois não terem que andar escondidos).

E os abdominais? São trabalhados ao longo de toda a aula porque é fundamental manter essa zona firmemente contraída em todos os exercícios. Mas no final ainda fazemos uns abdominais específicos engraçados com as pernas para cima e os pés apoiados na barra.

A aula termina com alongamentos na barra, com as pernas mais ou menos esticadas, conforme a flexibilidade de cada uma. O que importa é tentar. Pouco a pouco, a postura melhora, as costas tendem a endireitar-se sozinhas e até quando estiver sentada ao computador vai pensar duas vezes antes de se pôr toda torta. Afinal, as bailarinas têm uma reputação a manter.

 

Informações úteis
S. Barre – Shape it
Aulas de 45 minutos. Mensalidade de 49.90€, que permite usufruir, em livre trânsito, de todas as modalidades existentes nos centros Vivafit. 
Vivafit
www.vivafit.pt 

Céu Coutinho 2016-01-20

Receba as melhores oportunidades no seu e-mail
Registe-se agora

Boa
Vida