PORTUGAL FAZ-LHE BEM

Refeições Kosher

Da judiaria para a sua mesa

Chegou o Sabat. Desligue a televisão, o computador, o telemóvel e junte a família à mesa. A tradição é kosher (palavra que significa autorizado ou permitido em hebraico) e a refeição também. Não precisa de se converter ao judaísmo para experimentar…

Qualquer refeição que faça pode ser kosher, basta para isso que se assegure que todos os produtos que comprou e que vai usar são kosher. Como? Procure o certificado em cada um deles. Esse selo atesta que a produção do alimento foi devidamente fiscalizada pelo Rabinato Judaico. É assim há já 6000 anos.

A religião não lhes permite

Regra número 1: higienização. Para cozinhar uma refeição kosher tem de garantir que a cozinha onde o irá fazer foi devidamente limpa. É até frequente estes espaços serem “expurgados” por rabinos. O passo seguinte passa por escolher o tipo de prato que quer cozinhar.

Prefere um prato de carne? Então terá de escolher entre carne de vaca, de cordeiro ou de frango. Porco nem pensar. Está também proibido de comer cavalo. Apenas os mamíferos ruminantes com cascos fendidos podem fazer parte da dieta kosher. Certifique-se também que o animal foi abatido por um shohet, um judeu especializado neste ofício e que o cumpre de acordo com as leis do Torah. 

Deve também privar-se de todo e qualquer laticínio. Esqueça os molhos feitos à base de queijo, por exemplo. Porquê? Porque mãe e cria não podem jamais misturar-se numa mesma refeição. Não podem sequer ser cozinhados nas mesmas panelas ou servidos nos mesmos pratos. Se quiser levar a tradição à letra, não guarde na sua cozinha laticínios quando estiver a cozinhar carne. Assim manda a Torah (textos sagrados judaicos).

Andreia Melo 2012-03-04

Receba as melhores oportunidades no seu e-mail
Registe-se agora

Boa
Vida