Quantcast
PORTUGAL FAZ-LHE BEM

Diva e o Design

Como moça moderna e desempoeirada, a Diva contacta habitualmente com gente charmosa, das artes e assim, quer social quer profissionalmente. Foi por isso que lhe pedimos uma crónica sobre o Design, esse mundo sofisticado e informal, o cúmulo do cool.

Se existe área que toda a gente considera digna e charmosa, à exceção do Carga de Trabalhos, é o Design.

Esse termo que tem como propósito a execução de um conceito criativo individual que surge para agradar, e também facilitar, a vida das pessoas. Pelo menos, esta é a minha visão da coisa. Profunda, como sempre. Não precisam agradecer.

Por motivos profissionais, porque infelizmente a vida não é só escrever estupidezes no Divas em Apuros, tive que aprender alguma coisa sobre o meio, especialmente sobre o Design Gráfico. Vá, o mínimo que um account deve saber para não ir parar à Palavra do Cliente.

Como tal, já faz tempo que sei o que é uma arte final, um jpeg e até um dpi, imaginem. Também dou belos inputs sobre estética e quando me sento ao lado de um designer, para ver detalhes de algum projeto, tenho que me controlar para não botar a mão ao rato e desatar a criar. Ou não, lá está.

O que é certo é que, dia após dia, com muita dedicação, vou evoluindo. Agora, se há coisa que me custa a perceber, e não há anos que me façam lá chegar, é o bicho chamado Designer. Esse ser complexo com características tão sui generis.

Ora bem, vamos lá tentar conhecê-lo:


Designer Gráfico: Se for formado pelo IADE, veste bem e é assim para o beto, se for pela Faculdade de Belas Artes, tem aquele ar de pelintra mas, desenganem-se, porque o outfit é todo pensado. O que todos têm em comum, desde os mais conservadores aos mais alternativos, é o facto de detestarem a palavra Deadline e ainda mais a palavra Cliente. Também não suportam aquele monstro apelidado de Alterações e, quando este surge mais do que esperado, reviram os olhos como a menina do exorcista, mas ainda menos simpáticos. Adoram proferir merdas que o comum dos mortais não percebe, tipo CMYK, grids, resource... E, quando se estão a exibir a falar designês, há que dar o ar de que estamos a entendê-los. Não se deixem ficar. Se topam a nossa ignorância, zipam-nos que é uma beleza.

Designer de moda: Anda aí, coitado, no corte e cose desta vida, a tentar ser alguém neste país onde não há dinheiro para a Pradamark, quanto mais para chiffon. Geralmente veste as coisinhas que ele mesmo cria, assim poupa dinheiro em trapos e pode ser um bocadinho mais explorado no atelier do seu mestre. Tem como principal objetivo atingir o patamar da Moda Lisboa, onde até a Cristina Ferreira tem direito a passadeira vermelha. Agora pensem...

Designer de interiores: É toda uma espécie à parte. Não confio nesta gente. O designer de interiores está sempre com um olho no candeeiro e outro no tapete. Evito convidá-lo para ir chez moi pois mete defeitos em tudo. Se, por acaso, tenho o azar de ter um vaso com ar de WC na cozinha, consegue barrar-me para sempre da Area, já que domina o staff de todas as lojas de decoração da cidade. O conselho é não lhe dar abébias. Se, por acaso, lhe mostramos um dedo, em dois tempos transforma a nossa casa vintage num ambiente náutico-chique, só porque é tendência. Longe de mim…

Designer de Web: Anda aí armado em rei porque já ninguém vive sem ele. Ri-se nas costas dos outros, dizendo que é tudo muito complicado, quando na maior parte das vezes dá menos trabalho do que um espirro. Quando se trata de botões, oh diabo, não discutam com ele... fica possuído. Passa a vida a ver sites de inspiração, para dar o ar, mas a verdade é que não vive sem os templates de Wordpress. É um gangster por natureza e, por isso, domina tudo que é pirataria de filmes online. Isso é fixe.

Designer de Equipamento: Tem a paciência de um santo, fruto dos renders que faz ao longo do dia. Eu tentava não me irritar muito, porque ele vai ficar sempre por cima. Não há nada pior do que discutir com um gajo que não dá troco. Uma pessoa que fica três horas a olhar para um computador a renderizar, é capaz de qualquer coisa. Por outro lado, montar móveis do IKEA é com ele. Peço-lhe ajuda mesmo quando o caso é uma Expedit.

Mas bom… Confesso que até o brinde do ovo Kinder é um desafio para mim.

Boa semana do Design.

Love.

D.

A autora e o blogue
O blog Divas em Apuros não é para quem quer, é para quem pode.
As Divas de Portugal têm finalmente um espaço para ler histórias dignas e relevantes.
É dedicado ao público feminino mas não julgará outros géneros. É pensado para quem assiste à Casa dos Segredos mas que não pode contar a ninguém. É também dedicado às meninas que nunca ganharam tão mal na vida mas que, ainda assim, continuam a ir à H&M duas vezes por mês.
É o blog para quem nasce Diva e morre Diva.
Basta de sermos humildes.
Blogue
Facebook

 

Textos anteriores no Lifecooler:

Diva e as Novas Modas

Por Raquel Garção / Divas em Apuros

Receba as melhores oportunidades no seu e-mail
Registe-se agora

Boa
Vida