Quantcast
PORTUGAL FAZ-LHE BEM

À sombra na relva fresca

Margarida Vargues do blogue Pano pra Mangas passeia pela Alameda João de Deus, em Faro, entre pavões coloridos e o zumbido entorpecedor das abelhas. Mas que é do vendedor de pinhões torrados?

por Margarida Vargues

Se há algo de que sinto saudades da vida de Londres, onde vivi durante quase dois anos, é a possibilidade de passear horas a fio pelos parques da cidade sem sequer suspeitar que mesmo ali ao lado existe um turbilhão de carros, pessoas e edifícios. Sinto saudades de poder pisar despreocupadamente a relva e de ficar a observar o correr das estações do ano – a transformação é total!

De regresso a casa, em Faro, onde não há parques, sobrevivem alguns jardins, tento aproveitá-los. Contam-se pelos dedos de uma mão... O meu preferido é aquele que me transporta à infância e aos dias em que antes do toque de entrada no colégio o meu pai me levava pela mão a ver os patos e a andar de baloiço: a Alameda João de Deus. Este deve ser o maior espaço verde público da cidade e está no mesmo local desde os finais do século XIX. Aqui as árvores são quase todas de folha perene – não me recordo de alguma vez o ter visto “despido” – abundam árvores que de tão altas lhes perdemos a medida e que, de tão grossas, não as conseguimos abraçar. Nesta altura do ano está verde e fresco, ouve-se o zumbir das abelhas e o chilrear dos pássaros. Um bando de pavões passeia-se calmanente por entre as poucas pessoas que ali estão. Recordo, com saudade, o quiosque que vendia sementes para darmos aos pássaros e o vendedor de pinhões torrados, os quais vinham num cartucho de papel de jornal acompanhados de um prego de bico achatado.

Por momentos esqueço que de onde estou consigo ver a civilização à minha volta, mas logo sou acordada por uma buzina estridente que me faz regressar à terra.

Gostava de vos convidar a um passeio nos jardins e parques das vossas aldeias, vilas e cidades. Olhem com “olhos de ver” – como me dizia a minha avó – e descubram os detalhes escondidos, as histórias ocultas ou, simplesmente, aproveitem para respirar um pouco de ar (mais) puro.

A autora e o blogue
Inseparável da máquina fotográfica e do bloco de apontamentos, quando não anda em trânsito Margarida Vargues vive em Faro. Professora de Inglês de formação, e Life coach de coração, criou o blogue Pano p’ra Mangas em 2005 para mostrar os seus trabalhos manuais e outras ocupações das horas livres. Em 2012 foi para Londres onde ficou um ano e meio. Regressou ao Algarve onde vive entre a mini-horta, a máquina de costura e os mil e um projetos a que vai emprestando as suas artes.
Blogue
Facebook

Receba as melhores oportunidades no seu e-mail
Registe-se agora

Boa
Vida