Quantcast
PORTUGAL FAZ-LHE BEM

22º

de 43
ver todos

Quinta do Lobo Branco

22º

de 43
ver todos

A Quinta do Lobo Branco é uma unidade de turismo rural vocacionada para o contacto com a Natureza num contexto de harmonia e comunhão espirtitual. Realiza retiros, atividades de permacultura, cursos e workshops, yoga e terapias diversas.

Morada: Rua do Outeiro
Código Postal: 4560 390 PAÇO DE SOUSA
Tel: 938375022
E-mail: quintadolobobranco@gmail.com
Site: www.facebook.com/pages/Quinta-do-Lobo-Branco/502819366466786
Distrito: Porto
Concelho: Penafiel
Freguesia: Paço de Sousa

Quinta do Lobo Branco


A descoberta do eu no aconchego do nós



No alto de um monte sobranceiro a Paço de Sousa, concelho de Penafiel, nasceu um refúgio holístico que convida à auto-descoberta em comunhão com a Natureza e com o outro. Retiros de silêncio, ioga, permacultura, workshops de cozinha vegetariana ou caminhadas são algumas das atividades que tornam singular este turismo rural, tão marcante quanto a arquitectura dos seus edifícios. Aqui a paz veste de branco.

Pouco mais de um quilómetro separa o austero e milenar Mosteiro de Paço de Sousa ao traço moderno e despudorado da Quinta do Lobo Branco mas ao primeiro vislumbre se percebe que estamos prestes a entrar num mundo à parte. Desde logo pela arquitetura original e impressiva dos cinco edifícios que compõem este turismo rural, num misto de simplicidade e futurismo. Linhas direitas e cravadas na terra mas que apontam para o céu, inspiradas nos palheiros tradicionais e pintadas num tom imaculado que remete para o lobo branco enquanto símbolo xamânico de luz e amor. 

A ausência (propositada) de portões e vedações convida-nos a entrar na propriedade sem pedir licença, rumo ao aglomerado de casas, onde já nos espera um sorriso largo e genuíno, prenuncio do modo de vida zen e descontraído que aqui se cultiva. Além de turismo rural, aberto desde agosto de 2013, a quinta também serve de lar a um grupo de várias pessoas (quase todas familiares) que decidiram trocar a cidade (e os antigos empregos) por uma vida comunitária no campo em comunhão espiritual e partilha com a Natureza.

A maioria habita em três casas particulares enquanto os hóspedes ficam alojados na casa-mãe, distribuída por seis quartos (Terra, Água, Fogo, Amor, Madeira e Ar), cada qual com a sua casa de banho privativa. O espaço não podia ser mais minimalista mas a ausência de decoração é compensada com uma clarabóia no teto (tipo águas furtadas) que, à noite, convida a espreitar as estrelas e, de manhã, nos acorda com os primeiros raios de sol.

No piso térreo ficam os espaços comuns, também eles dominados pelo branco, como a cozinha e a zona de refeições comunitárias, uma divisão para crianças e uma sala de estar com sofás e lareira. Televisões não existem mas, acredite, nem vai dar pela falta delas. Em troca há de encontrar alguém disponível para conversar ou trocar ideias, o sorriso e as brincadeiras das crianças ou, simplesmente o silêncio, que aqui também é de ouro. Vale a pena aproveitá-lo, por exemplo, para refletir sobre algumas perguntas espalhadas (em cartazes) por esta zona comum: “Quem te pode ajudar”?,“O que sabes fazer?”, “Onde queres chegar?”. Na Quinta do Lobo Branco as respostas parecem mais fáceis de encontrar.  

Harmonia em comunidade

Entre a casa-mãe e as residências familiares fica o Zendo, um espaço amplo e repleto de luz onde se realizam várias atividades, como ioga, alinhamento de chacras, massagens, criataloterapia, tarot ou danças. Mas muitas também acontecem ao ar livre, por exemplo à beira da piscina de água salgada, autêntico miradouro privilegiado para os campos em redor. Depois de apreciadas as vistas foi tempo de fecharmos os olhos e participarmos numa sessão de meditação ao som do chilrear dos pássaros e de um regato com pequenas cascatas que corre ao fundo.

Um quarto de hora depois estávamos como novos e cheios de energia para conhecer o resto da quinta, que se estende monte acima entre árvores seculares e outras plantadas mais recentemente. É nesta área mais afastada que fica uma cabana chill out, um pequeno charco artificial e um “círculo de fogo” que convida os participantes a conversarem ou dançarem à volta de uma fogueira. Junto a elas está também uma horta Mandala, sistema de produção sustentável que, no futuro, poderá fornecer vegetais suficientes para toda a comunidade e para as refeições dos hóspedes (15€/pessoa), maioritariamente vegetarianas.

Quem preferir uma experiência total poderá fazer um retiro personalizado de vários dias com atividades, terapias e alimentação à medida das necessidades de cada um. Alguns podem incluir vários dias de silêncio e até uma dieta líquida exclusivamente à base de sumos, batidos e sopas, enquanto outros privilegiam a partilha, por exemplo em sessões de contact improvment onde todos dançam, riem e tocam-se mutuamente. Mas também é possível, pura e simplesmente, aproveitar a estadia para relaxar, fazer caminhadas ou partir à descoberta do património da região expresso, por exemplo, na Rota do Românico.

Em qualquer dos casos, os hóspedes são sempre recebidos de braços abertos por uma família pronta a cuidar deles, protegê-los e acarinhá-los, como se de uma alcateia se tratasse. Afinal, aqui valoriza-se o amor ao outro, genuíno e sem pressas. O objetivo é fazer esquecer o stresse, o ritmo agitado do dia-a-dia por isso atreva-se a desligar o telemóvel e a deixar o relógio numa gaveta. Está na hora de se encontrar a si próprio na Quinta do Lobo Branco.

Quinta do Lobo Branco - Penafiel

Morada:  Rua do Outeiro, Paço de Sousa (Penafiel)
Telf.: 932 520 873
www.quintadolobobranco.pt

Preço médio: 80€ (quarto duplo)

Distância de Lisboa: 336 Km
Percurso recomendado: A1, A41, A4, N 106-3
Custo das portagens: 22€

Distância do Porto: 35 Km
Percurso recomendado: A4, N 106-3
Custos das portagens: 2€


Seja o primeiro a avaliar
Receba as melhores oportunidades no seu e-mail
Registe-se agora

Boa
Vida