PORTUGAL FAZ-LHE BEM
Ver
mapa

Hotel Rural Maria da Fonte

O Hotel Rural Maria da Fonte está instalada no espaço de uma antiga quinta minhota. O terreno compreende uma extensão de sete hectares, sendo este o principal atractivo do estabelecimento hoteleiro. Entre outras características, o Hotel Rural Maria da Fonte dispõe de um restaurante com 80 lugares, instalações históricas que poderão ser visitadas (como a antiga adega) e a possibilidade de praticar diversos desportos ao ar livre.

Acessos: Do Porto pela A3 em direcção a Braga e depois em direcção a Póvoa de Lanhoso. Já dentro desta localidade, seguir indicações para Calvos e depois placas indicativas do hotel rural.
Localização: Montanha (Serra do Gerês)
Nº de camas: 59
Nº de quartos: 30
Nº de suites: 4
Observações: Outro contacto: 965010090. Aceita animais.
Período de funcionamento: Todo o ano.
Preço Época Alta: 95.00
Preço Época Baixa: 76.00
Categoria: Hotéis Rurais
Serviços / Equipamentos: Aeroporto, Animais admitidos, Ar condicionado nos quartos, Bar, Cavalos, Estação de autocarros, Estação de comboios, Ginásio, Hospital / centro de saúde, Instalações para deficientes, Jardim, Parque de estacionamento, Piscina exterior, Piscina interior, Restaurante, Sala de bilhar/snooker, Sala de reuniões / conferências, Sala de estar comum, Sala de festas, Sala de TV e/ou vídeo, Sauna, Telefone nos quartos, Ténis, TV nos quartos, Aquecimento
Código Postal: 4830 065 CALVOS PVL
Tel: 253639600
E-mail: info@mariadafonte.com
Site: www.mariadafonte.com
Distrito: Braga
Concelho: Póvoa de Lanhoso
Freguesia: Calvos

Quinta Maria da Fonte


O Inverno faz o favor de fazer o Minho ainda mais verde. E nos arredores da Quinta Maria da Fonte o efeito é bem vindo. Até o musgo fica mais verde que em outro lado qualquer. Mas há mais. Boa comida, e muito por onde gastar as calorias.


Paula Oliveira Silva

Já estava manhã feita e o céu não sabia se havia de se tornar limpo ou continuar nublado impedindo que se vissem os campos à volta do hotel. À chegada bem que haviam prevenido para o facto de as primeiras horas do dia por aqui serem frias, principalmente quando as geadas põem tudo branco. Não faz mal. Aproveita-se para conhecer o interior do hotel, bem aquecido, e tomar um pequeno-almoço tranquilo, porque a paisagem a isso obriga. Assim até sabe melhor, saborear a refeição enquanto se aprecia a vista resguardado em calor.

O bem que faz um raio de sol

O Inverno veio para ficar por uns bons tempos e, o restaurante que no jantar do dia anterior estava iluminado por luz artificial, é agora invadido por um sol radioso. Oxalá todas as invasões fossem assim… agradáveis. Mesmo um olhar mais distraído facilmente se aperceberia de que esta sala está situada numa parte privilegiada da casa. Das enormes janelas panorâmicas aprecia-se a vista até ao monte mais próximo, que ainda é longe. Mais perto, em primeiro plano, a esplanada, situada na antiga eira, é o espaço ideal para apanhar um pouco de sol enquanto se bebe um chá ou se faz outra coisa qualquer. E como se está em terras minhotas, estaria o quadro incompleto se não constasse da vista o tradicional espigueiro. Imponente e desprovido das madeiras que o revestiam, decidiram os proprietários deixar apenas a estrutura em granito para a posteridade. Decisão acertada esta, porque o torna ainda mais monumental.

Mexa-se, mexa-se

Apesar do frio, o dia acordou calmo. Vento nem ouvi-lo e, melhor do que isso, nem senti-lo. Esta parece ser a altura ideal para arriscar um passeio pelo exterior do hotel, onde se pode jogar ténis num dos dois courts. Assim até espanta o frio. Um dos campos até tem bancadas e obedece às medidas legais para que se possam organizar competições. Ao lado, a piscina semi-olímpica rivaliza as atenções dos hóspedes. Há tempo para tudo, mas se ainda assim optar por dar umas braçadas, o melhor será utilizar a piscina interior, que é aquecida e assim fica feito o desempate. A quinta disponibiliza ainda cavalos que podem ser requisitados pelos hóspedes para passeios por estas paisagens. Quem tem um animal destes e não se quer separar dele, pode trazê-lo que as boxes estão preparadas. O dia já foi de exercício mas se ainda assim quiser continuar não há que perder as esperanças. Embora mais pequeno que um ginásio de cidade, este aqui serve perfeitamente.


Passeio no parque

As chuvas que já nos visitaram este ano vieram acentuar as verdadeiras cores da natureza. Podem dizer o que quiserem, mas o verde do musgo é mais vivo aqui no Minho. Sendo uma região rica em água, a quinta Maria da Fonte não dispensou um parque de merendas estrategicamente situado no choupal, atravessado por um ribeiro de águas puras. Custa a acreditar, mas ainda existem lugares assim. E para que a ideia fique completa, povoam o parque espécies exóticas que vêm dar mais colorido à paisagem. Outra boa ideia.

2002-01-09
Seja o primeiro a avaliar
Receba as melhores oportunidades no seu e-mail
Registe-se agora

Boa
Vida