Quantcast
PORTUGAL FAZ-LHE BEM

de 24
ver todos

Restaurante Eira do Mel

de 24
ver todos

Antiga casa agrícola, este restaurante de gerência familiar tem uma sala ampla e acolhedora, decorada com artefactos rurais. A cozinha esmera-se nas receitas regionais, nos peixes e mariscos.

Acessos para deficientes: Sim
Bar/Sala de espera: Sala de Espera
Dia(s) de Encerramento: Domingos
Especialidades: Entradas: cenouras frescas avinagradas com cominhos; ovinho de codorniz; morcela algarvia, polvo salteado em azeite; camarões estufados em azeite. Peixe: Cataplana de Camarão; Caldeirada de peixe; Açorda de camarão; Cataplanas de polvo com batata-doce; caril de camarão; massa de peixes; arroz de polvo; bife de atum estufado. Carne: Cabidela de galinha; Carne de porco com camarão; coelho bêbedo; Cataplana de galinha; Javali estufado com vinho tinto; Cataplana de coelho perfumada com coentros e vinagre da serra. Sobremesa: gelado de limão com gengibre; gelado de mel com passas, canela e pinhões; torta de amêndoa algarvia; pudim flan com nozes picadas; queijo de figo.
Estacionamento: Sim
Horário de Encerramento: 22:00
Lotação: 70
Necessidade de reserva: Aconselhável
Observações: Junto ao mercado municipal de Vila do Bispo. No mês de Agosto não encerra aos sábados. De Inverno o horário de funcionamento é: Das 12.30 às 14.30 e das 19.30 às 22.00 horas.CLASSIFICAÇÃO SERVIÇO VINHO A COPO VINIPORTUGAL (1-5): 3,0
Preço Médio: 22.50
Recomendado para grupos: Sim
Sanitários para Deficientes: Não
Tipo de Restaurante: Peixe e Marisco, Portuguesa, Regional
Horário de Funcionamento: Das 12:30 às 15:00 e das 19:30 às 22:00.
Acessibilidade de deficientes motores: Acessibilidade fácil
Área para fumadores: Não Fumadores
Morada: Estrada do Castelejo
Código Postal: 8651 909 VILA DO BISPO
Tel: 282639016
E-mail: eiradomel@sapo.pt
Distrito: Faro
Concelho: Vila do Bispo
Freguesia: Vila do Bispo

Eira do Mel – Vila do Bispo


Sabores antigos e saberes modernos.


Paula Oliveira Silva

Vila do Bispo ganhou há 16 anos um restaurante regional que se pode mostrar orgulhosamente ao mundo. Na Estrada do Castelejo - a caminho das praias do Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina - o Eira do Mel é ponto de paragem obrigatória, quando o carro e seus tripulantes, muitos deles estrangeiros, pedirem por uma pausa.

Chamar as coisas pelos nomes

A história deste restaurante é também a do proprietário, José António Pinheiro, nascido e criado em Vila do Bispo. Após a conclusão dos estudos de cozinha e pastelaria na Escola de Hotelaria do Algarve, abriu este restaurante num sítio conhecido localmente por “Eira do Melo”. A derivação até ao nome actual tem laivos de anedota. É que o então proprietário do armazém agrícola, à boa maneira algarvia, “comia” o final das palavras...

Apesar de o restaurante estar na sua juventude tem, no entanto, uma aura mais antiga. Tenazes, peneiras, balanças, abanicos e até ratoeiras fazem parte da decoração rústica e revelam o passado rural da terra.

As paredes denunciam ainda os louros obtidos por José António Pinheiro ao longo de mais de uma década passada entre tachos e panelas. A mulher Isália ocupa-se da sala e das sobremesas.

A ementa, que é fixa, pode ainda ter algumas sugestões extra consoante a altura do ano. O que cá encontra sempre é o arroz de peixes da costa e o bife de atum à algarvia. Só por isto já se percebe que a cozinha algarvia é muito mais que peixe grelhado na brasa. E as cataplanas, herança árabe, uma das especialidades da Eira do Mel? Podem ser de coelho, de galinha, de peixe ou de polvo, neste último caso numa acertada combinação com batata-doce.

Do regional ao molecular

Perceve e batata-doce são dois dos ícones gastronómicos desta zona. O vizinho concelho de Aljezur tem a maior área do país de produção de batata-doce com direito a festival gastronómico, que já na 10ª edição.

Os produtos regionais de qualidade marcam, de resto, o perfil desta casa. José António Pinheiro é, desde 2000, membro do Slow Food, um movimento que nasceu em 1986, na Toscânia, em Itália, com vista a promover o prazer da degustação e a biodiversidade na agricultura, o que se reflecte nas várias tradições gastronómicas de povos de todo o mundo. 

Nos encontros bienais da Terra Madre - assim se chama o evento - o chefe de Vila do Bispo já levou em representação de Portugal muitos alimentos de que cozinheiros de outras partes do mundo nunca tinham ouvido falar. Este é também um meio de recuperar técnicas e sabores tradicionais e salvar da extinção alimentos mais ameaçados.

2008-01-09
Seja o primeiro a avaliar
Receba as melhores oportunidades no seu e-mail
Registe-se agora

Boa
Vida