PORTUGAL FAZ-LHE BEM

de 30
ver todos

Restaurante A Lareira | Nadadouro

de 30
ver todos

Restaurante situado entre as Caldas da Rainha e a Foz do Arelho, com três salas. O cardápio é variado e o serviço de qualidade. Os pratos são inspirados na cozinha tradicional portuguesa com o requinte da cozinha internacional.

Acessos: Seguir pela Estrada Nacional 360 na direcção Caldas/Foz do Arelho.
Acessos para deficientes: Sim
Dia(s) de Encerramento: Terças
Especialidades: Peixe: Sopa de Peixe à Pescador; Massinha de Garoupa com frutos do mar; Lombo de Garoupa gratinado à Lareira; Arroz de Lampreia; Cataplana de Peixe; Ensopado de Enguias; Robalo Assado. Carne: Chateaubriand com Espargos; Cabrito assado no forno; Perdiz à Beirão; Arroz de Pato Escondido; Carré de javali com molho zimbro e moscatel; Espetada de perú com ananás; ensopado de borrego à Antiga; Lombo de pata negra com molho mexicano. Doces: Tarte de Frutos Secos; Bolo de Mandioca; Baba de Moça; Soufflé frio de trouxas das Caldas com mel sobre uva calda.
Estacionamento: Sim
Horário de Encerramento: 22:30
Lotação: 1100
Necessidade de reserva: Aconselhável.
Preço Médio: 20.00
Recomendado para grupos: Sim
Sanitários para Deficientes: Sim
Serviços: 4 Salas independentes equipadas com lareira e ar condicionado.
Tipo de Restaurante: Internacional, Portuguesa, Regional
Horário de Funcionamento: Das 12:00 às 15:00 e das 19:00 às 22:30.
Acessibilidade de deficientes motores: Acessibilidade fácil
Área para fumadores: Zona Fumadores + Zona Não Fumadores
Morada: Rua da Lareira 35 Alto do Nobre - Estrada da Foz
Código Postal: 2500 593 NADADOURO
Tel: 262823432
E-mail: 23432lareira@mail.telepac.pt
Site: https://www.facebook.com/RestauranteALareira/
Distrito: Leiria
Concelho: Caldas da Rainha
Freguesia: Nadadouro

Restaurante A Lareira – Caldas da Rainha


Ambiente quase luxuoso para uma cozinha imaginativa.


N'Dalo Rocha

Seguindo pela N360 entre as Caldas da Rainha e a Foz do Arelho, vislumbra-se uma pequena placa apontada para a direita na qual está escrito apenas Restaurante A Lareira.

Avançamos alguns metros por essa estrada secundária e rapidamente vamos encontrar uma casa com certa imponência onde o néon não nos deixa enganar. É lá mesmo. Entramos e estacionamos no amplo parque de estacionamento. Caminhamos até à adornada porta coberta por um telheiro em forma de frontão. Tocamos à campainha e logo um solícito empregado nos abre a porta e amavelmente nos convida a entrar.

O ambiente é requintado, luxuoso até. Espaço ricamente decorado, onde nas paredes se expõem vários quadros impressionistas nos quais o elemento feminino está em evidência. No fundo do salão, a lareira que deu o nome à casa, e no centro uma enorme mesa redonda faz o enquadramento. As mesas em tons suaves de amarelo torrado, contrastam muito bem com as paredes em tons rosado. Tudo é fresco, muito clean até. Do tecto pendem alguns candeeiros em forma de candelabros de cor dourada. Talvez um preciosismo desnecessário, mas não fica mal.

Lavadas as vistas é tempo de passarmos à acção com as coisas que realmente interessam, ou seja, o jantar. Para abrir o apetite, caso o tempo e a fome não apertem, aconselha-se uma breve passagem pelo bar, onde se toma um aperitivo, talvez um Porto seco.

A brigada de empregados de sala é adequada aos 72 lugares e o serviço é atencioso e gentil. Prontamente, alguém nos indica uma mesa disponível, na qual nos acomodamos confortavelmente.

Começamos pelas entradas, onde não falta o pãozinho quente acompanhado pelas manteigas com e sem alho, para além dos queijos, azeitonas, fofinhas chamuças e crepes com molho de soja. Depois, olhando para extensa carta não é difícil perceber que mais do que um restaurante de comida regional ou portuguesa, existem diversos pratos que são fruto de uma criativa cozinha de autor.

Podemos começar pela salada de lagosta e camarão, um prato leve, delicioso e muito bem apresentado. Segue-se uma sopa de peixe, bem quente com berbigões e um leve travo a ervas aromáticas. Vale a pena experimentar. Por fim, remata-se com um tornedó ao chefe de macia carne.

Para sobremesa, depende do gosto, mas caldas com mel sobre uvas ou então a mais simples tarte de frutos secos poderá ser uma opção a levar em conta.

Mas as experiências gastronómicas não se ficam por aqui. O gerente Sérgio Coito gosta de inovar e frequentemente realiza semanas gastronómicas como a semana do peixe, onde os pratos do peixe estão em evidência, ou a semana japonesa, na qual é possível comer sushi.

Inovações de uma casa que apesar dos seus 15 anos de existência, continua a acompanhar as tendências de mercado, adaptando-se do modo mais flexível. É uma política que pratica todos os dias à hora do almoço, para os clientes que gostam de comer bem, mas não pretendem desembolsar 20 € por refeição. Para esse público foi criada uma ementa gourmet por apenas 9,5€, com um prato do dia, sem no entanto abdicar da qualidade.

Informação Detalhada

2004-10-12
Seja o primeiro a avaliar
Receba as melhores oportunidades no seu e-mail
Registe-se agora

Boa
Vida