Quantcast
PORTUGAL FAZ-LHE BEM

de 49
ver todos

Quinta das Aveleiras

de 49
ver todos

A Quinta das Aveleiras situa-se à entrada da tradicional vila de Torre de Moncorvo, no mais profundo da província de Trás-Os-Montes, nas encostas da serra do Reboredo. É constituída por quatro casas restauradas e adaptadas ao Turismo Rural, com magnífica vista panorâmica e rodeada por densa zona florestal e vegetação característica desta zona montanhosa.

Acessos: Do Porto, seguir pelo IP4 até Mirandela. Aí virar para Vila Flor, depois para Torre de Moncorvo. A Quinta fica à entrada da vila.
Localização: Montanha
Nº de camas: 12
Nº de quartos: 6
Nº de suites: 1
Observações: A Quinta das Aveleiras é um Agro-turismo, com quatro casas diferentes.Pombal - 2 Pax (110.00€)Retiro 2 Pax (110.00€)Casa da Serra - 4 Pax (145,00€)Casa Branca - 6 Pax (220.00€)Preço de alojamento com pequeno almoço por casa/noite
Período de funcionamento: Todo o ano.
Preço Época Alta: 90.00
Preço Época Baixa: 90.00
Categoria: Turismo Rural
Código Postal: 5160 206 TORRE DE MONCORVO
Tel: 279258280
E-mail: info@quintadasaveleiras.pt
Site: www.quintadasaveleiras.pt
Distrito: Bragança
Concelho: Torre de Moncorvo
Freguesia: Torre de Moncorvo

Quinta das Aveleiras


De lá do alto parece que estamos sozinhos. A Quinta das Aveleiras dá-lhe a calma ideal para pensar em tudo.


Álvaro Curia

Do cimo da encosta, vê-se Moncorvo no centro do vale. Depois algumas aldeias perdidas e Vila Flor. São os montes de Trás-os-Montes quem se estende à nossa frente, fazendo-nos perder a vista, numa calma tal que até o sussurrar das folhas se ouve. A Quinta das Aveleiras situa-se à entrada da tradicional vila de Torre de Moncorvo, no mais profundo da província de Trás-os-Montes, nas encostas da serra do Reboredo. De facto, a quinta está toda organizada ao longo da encosta, desde o cimo, onde se encontra a casa mais afastada, até ao vale. Para percorrer as várias casas da quinta é preciso muito fôlego, uma vez que o caminho em terra batida é a pique encosta acima. Mas nada que o carro não resolva. Começamos a subir. Por todo o lado espalham-se vinhas e muitas árvores, entre elas medronheiros, zimbros, estevas e pinheiros. Num cercado mais altaneiro, um conjunto de centenas de japoneiras, ou glicínias, todas diferentes umas das outras, trazem uma variedade estonteante de tons, cheiros e texturas.

Também acompanhando a nossa viagem pela encosta estão os característicos muros de xisto, que servem para resguardar a terra cultivada e manter os socalcos da encosta. São construções bastante impressionantes, tendo em conta a sua antiguidade e o facto de terem sido feitas, na sua maior parte, sem a ajuda de máquinas. A Quinta das Aveleiras não é um edifício só: muito pelo contrário, a hospedagem realiza-se em diferentes casas ao longo da encosta, todas recuperadas da antiga quinta que data desde antes do século XVIII, a constatar pela capela que fica anexa à Casa do Retiro, a casa mais alta da propriedade. Existe, para além da Casa do Retiro, o Pombal, uma charmosa habitação construída a partir de um antigo pombal, a Casa Branca e a Casa da Serra. Todas as casas dedicavam-se, antigamente, ao apoio da actividade agrícola. Hoje em dia encantam os turistas que lá chegam, deslumbrados com a beleza do local.

2003-05-27
Seja o primeiro a avaliar
Receba as melhores oportunidades no seu e-mail
Registe-se agora

Boa
Vida