Quantcast
PORTUGAL FAZ-LHE BEM

A Fábrica dos Chapéus

O nome não foi escolhido ao acaso. Na Fábrica dos Chapéus, no Bairro Alto lisboeta, vendem-se chapéus de marcas portuguesas e internacionais, mas não só. A loja, que abriu em Agosto de 2008, também tem um ateliê e por isso ali confeccionam-se modelos por medida, forram-se chapéus já prontos, tiram-se laços e fitas e colocam-se aplicações. "Ninguém sai daqui sem um chapéu", promete o proprietário, Luís Barbosa. O risco é sentir-se tentado a levar mais qualquer coisa. Na Fábrica dos Chapéus também há luvas, cachecóis, pins e todo o tipo de bijutaria.

Dias de Encerramento: Domingos
Horário de funcionamento: 2ª a 5ª - 11h às 20h306ª e Sábado - 11h30 às 21h
Morada: Rua da Rosa 118
Código Postal: 1200 389 LISBOA
Tel: 211914579
E-mail: afabricadoschapeus@gmail.com
Site: www.facebook.com/afabricachapeusoficial
Distrito: Lisboa
Concelho: Lisboa
Freguesia: Encarnação

A loja dos 1001 chapéus


Ele é gorros de lã, chapéus de feltro, bóinas, cocos, panamás, capelines...


Helena Viegas

Há um novo ponto de paragem obrigatório na Rua da Rosa, no Bairro Alto. Chama-se A Fábrica dos Chapéus e é uma tentação para quem gosta de gorros de lã, chapéus de feltro, bóinas, cocos, panamás ou capelines.

Os desejos de quem entra no número 130 da Rua da Rosa são para cumprir. E se depois de experimentar os mais de 200 modelos de chapéus, bóinas e gorros empoleirados nos escaparates da loja, mesmo assim, ainda não estiver satisfeito, não se acanhe. O nome do espaço, A Fábrica dos Chapéus, não foi escolhido ao acaso. A nova loja do Bairro Alto tem um ateliê e ali tudo se transforma: forram-se chapéus com novos tecidos, retiraram-se aplicações, colocam-se laços e fitas a gosto - a imaginação é o limite.

Uma ideia... de se tirar o chapéu

A Fábrica dos Chapéus abriu as portas em Agosto e é o resultado de um volte-face na vida do proprietário. Luís Barbosa estava farto de usar fato e gravata e do emprego numa multinacional. Saiu, partiu em viagem e quando voltou resolveu dedicar-se ao negócio dos chapéus, peça que usa desde que se lembra que existe. Achei que era isto, diz com simplicidade.

O Bairro Alto foi o local escolhido e na loja entram diariamente muitos turistas e jovens noctívagos. Mas não só. Apesar da opção pelas paredes amarelas e armários vermelho-sangue e da imagem mais alternativa do espaço, até os mais velhos moradores da zona acabam por não resistir a espreitar. Aqui há chapéus para toda a gente, garante Luís Barbosa – independentemente da idade, do tamanho da cabeça ou do estilo pessoal. Há opções para todos os gostos, boa-vontade para encomendar novos tamanhos e mil uma possibilidades de transformação.

Um chapéu para cada cara e cada ocasião

A Fábrica dos Chapéus vende modelos nacionais, como as bóinas alentejanas, mas também os clássicos estrangeiros, como os chapéus de tirolês ou as bóinas da Irlanda. Os preços variam entre os cinco e 70 euros nos modelos expostos, variando nas peças feitas por encomenda, podendo o orçamento ultrapassar os 150 euros nos modelos mais complexos. E além das mudanças óbvias de colecção entre o Verão e o Inverno, há sempre coisas diferentes, acabadas de chegar. Estamos aqui há um mês e meio e já há pessoas que entram só para ver as novidades, orgulha-se Luís Barbosa.

2008-11-19
Seja o primeiro a avaliar
Receba as melhores oportunidades no seu e-mail
Registe-se agora

Boa
Vida