PORTUGAL FAZ-LHE BEM

Casas do Almourão - Vila Velha de Rodão

Sentir a Natureza e viver a aldeia

Debruçadas sobre o rio e de olho na serra, as Casas do Almourão convidam a descobrir dois segredos bem guardados no concelho de Vila Velha de Rodão: a aldeia de Foz do Cobrão e as Portas do Almourão. Entre ambos fica este alojamento onde as varandas são autênticos miradouros e a arquitetura é simples mas marcante, tal qual a povoação e as paisagens que o rodeiam.

Faça chuva ou faça sol, todos os dias chegam visitantes a Vila Velha de Rodão para admirarem as Portas de Rodão, Monumento Natural que estreita o Tejo entre duas enormes encostas rochosas. A maioria sobe até ao miradouro, admira as vistas e segue viagem para outras paragens, sem imaginar sequer que a 15/20 minutos dali há outra formação geológica semelhante – as Portas do Almourão - quase tão surpreendente quanto o principal ex-líbris da região. Fica no extremo do concelho, próximo da aldeia de Foz do Cobrão e, desta vez, é o rio Ocreza que abre caminho entre dois grandes picos quartzíticos.

Por si só, este capricho da Natureza já merece um desvio mas a ele junta-se ainda uma imponente paisagem que dá vontade de desbravar e conhecer. Se assim for, nada melhor que ficar nas Casas do Almourão, alojamento turístico situado à entrada daquela pequena povoação que muitos chamam de aldeia presépio por se estender pela encosta da serra das Talhadas. E aqui também há vários locais para visitar, como um núcleo museológico dedicado ao linho e à tecelagem (atividade de grande importância no século XIX) ou os antigos moinhos que aproveitavam as águas da ribeira do Cobrão. Este encontra-se pouco depois com o Ocreza, afluente do Tejo que desde o tempo dos romanos atrai garimpeiros e curiosos em busca do ouro das suas margens. Um entre muitos tesouros por encontrar neste território desconhecido.

Simplicidade que marca

“Haverá lugar mais bonito e tranquilo que este”? A pergunta, tantas vezes repetida por Rogério Lourenço (nascido em Almada mas com raízes na aldeia) acabou por se transformar numa ideia de negócio a meias com a mulher, Lídia: abrir um alojamento que, tal como acontecia com eles, também servisse de inspiração aos outros. Para isso aproveitaram um terreno de família com vistas privilegiadas para o Vale do Almourão e entregaram o projeto a um arquiteto (Mário Benjamim) com a condição deste respeitar não só o enquadramento paisagístico mas também a herança cultural da região.

O resultado foram quatro casas de campo com paredes em viroc (mateira concentrada em cimento) e linhas simples mas marcantes, que descem uma encosta salpicada de pinheiros no ponto mais alto da aldeia. As duas primeiras foram batizadas com os nomes Ouro e Moinho e as outras chamam-se Oliveira e Linho, como forma de homenagam às atividades mais ancestrais da aldeia. Entre elas fica uma grande sala envidraçada que serve de receção, onde Rogérios e Lídia já nos esperam com um sorriso largo. Bem ao jeito da hospitalidade beirã.

Uma casa para todos os momentos

No interior das casas, abertas desde julho de 2015, a simplicidade também impera. Enquanto as paredes brancas não recebem as prometidas fotos da região, sobressai o mobiliário em madeira, prático e confortável, construído por uma empresa do concelho vizinho de Proença-a-Nova, a Ambiente D`Interni, que junta design italiano e construção portuguesa. Nesta divisão o protagonismo é entregue todo às varandas, autênticos miradouros para o Vale do Almourão e  para o Ocreza com vistas tão largas que chegam à outra ponta da sala de estar.

Os dois quartos e a sala com kitchenette (totalmente equipada) que compõem as casas tornam-as ideais para uma estadia em família ou de um grupo de amigos até seis pessoas (ou mais, se recorrerem às camas extra). Mas também são capazes de conquistar um casal à procura de momentos românticos e aconchegantes, não faltando sequer uma salamandra (ou ar condicionado) para aquecer o ambiente. Paisagens a condizer também há muitas por aquelas paragens, levando-nos à tal pergunta que Rogério já faz há muito tempo: “Haverá lugar mais bonito que este?”. A resposta cabe toda nas Casas do Almourão.

Casas do Almourão

Morada: Vau, Largo da Capela - Foz do Cobrão/Vila Velha de Ródão
Telf.: 965 869 327
www.facebook.com/CasasDoAlmourao

Distância de Lisboa:  206 Km
Percurso recomendado: A1, A23, EN3, EM1355
Custo das portagens: 11.20€

Distância do Porto:  240 Km
Percurso recomendado: A1, IC8, EN3, EM1355
Custo das portagens:  11.45€