PORTUGAL FAZ-LHE BEM

583º

de 720
ver todos
Ver
mapa

Restaurante AKLA

583º

de 720
ver todos

Situado no lobby do Hotel InterContinental Lisbon, o restaurante AKLA caracteriza-se pelo ambiente moderno com uma decoração sofisticada onde sobressaem os painéis de azulejo tipicamente portugueses e as madeiras nobres. A ementa diversificada contempla propostas da cozinha portuguesa e internacional, a cargo do chefe Eddy Melo. A maioria dos pratos são confecionados no inovador forno Josper que combina as funções de forno e grelha a carvão. A carne é grelhada a altas temperaturas em ambiente fechado, adquirindo uma textura e um sabor característicos.

Dia(s) de Encerramento: Não encerra
Especialidades: Carne maturada no forno Josper
Lotação: 75
Preço Médio: 30.00
Tipo de Restaurante: Portuguesa, Internacional
Horário de Funcionamento: Das 12:00 às 15:00 e das 19:00 às 22:30.
Morada: Rua Castilho 149 InterContinental Lisbon
Código Postal: 1070 050 LISBOA
Tel: 213818724
E-mail: lisha.concierge@ihg.com
Site: www.facebook.com/akla.restaurant/
Distrito: Lisboa
Concelho: Lisboa
Freguesia: São Sebastião da Pedreira

Restaurante AKLA – Lisboa


Inspirações intercontinentais


Nelson Jerónimo Rodrigues

A palavra akla, que em árabe significa refeição, dá nome ao restaurante do Hotel InterContinental Lisbon mas a sua gastronomia atravessa muitas latitudes. Se os ceviches e o chuleton de boi revelam influências internacionais já as pataniscas de bacalhau ou as ostras da Ria Formosa não podiam ser mais portuguesas. Uma ementa como reflexo do chefe, Eddy Melo, que dividiu a carreira entre o Canadá e Lisboa mas nunca esqueceu as origens açorianas.

Não são raras as vezes em que os turistas acabam por conhecer melhor as cidades que os próprios habitantes e o mesmo acontece com os restaurantes dos hotéis de luxo. Lisboa não é exceção. Seja por desconhecimento ou inibição, a verdade é que os alfacinhas ficam de pé atrás quando se trata de ir a um cinco estrelas só para almoçar ou jantar.

Quem perde o receio acaba, muitas vezes, por encontrar boa comida, um ambiente cosmopolita e preços que em nada ficam a dever aos restaurantes de rua com um nível semelhante. É o caso do AKLA, o segredo mais bem guardado do InterContinental Lisbon, situado no número 149 da Rua Castilho.

Intimismo em tons de azul

O acesso para o AKLA faz-se através do lobby do hotel ou por uma entrada independente na rua Marquês Subserra que dá diretamente para a sala de refeições. A primeira surpresa é o intimismo do espaço. Como não podia deixar de ser, há turistas, famílias com crianças e alguns encontros de negócios mas o ambiente é (inesperadamente) acolhedor e tranquilo q.b. Como foi possível? Em parte graças ao mobiliário e à iluminação, também pela simpatia e sensibilidade dos empregados mas, sobretudo, devido à disposição eficaz das mesas, umas mais recatadas, outras em espaços mais abertos e com bancos corridos.

Seja qual for o lugar escolhido prevalecem as madeiras nobres, os tons azuis e alguns dourados, conferindo um toque de luxo ao espaço, mas os elementos mais marcantes são os grandes painéis em azulejos com temas e cenários portugueses. O AKLA conta também com uma área destinada a sessões de showcooking (para cerca de oito pessoas) onde é possível observar in loco a técnica do chef Eddy Melo. Experiência é coisa que não falta a este açoriano com mais de 30 anos de carreira, os primeiros passados em Montreal, no Canadá, e desde 1994 em Portugal, data em que passou a dirigir a cozinha do antigo Le Meridien, agora Hotel InterContinental Lisbon.

Cru, grelhado ou mixado?

O percurso de Eddy Melo reflete-se também na ementa do AKLA, cruzando várias influências internacionais com produtos e sabores portugueses. Isso verifica-se, desde logo, em algumas entradas, como as ostras da Ria Formosa, mas também nas sopas, casos do aveludado frio de pepino, iogurte fresco e sapateira de Peniche ou do cappuccino de caldo verde com broa de milho e chouriço da Guarda. O mesmo acontece nos ceviches, que dão a provar o atum dos Açores ou o camarão algarvio e, neste último caso, ainda lhe juntam o gaspacho ribatejano.

Os pratos do mar, como o polvo grelhado ou o bacalhau à lagareiro, representam bem o antigo receituário nacional mas as carnes (forte aposta do restaurante) revelam uma vocação mais internacional e, honra seja feita ao forno Jasper, que permite grelhar no carvão mantendo a suculência e o sabor da carne. A prova está, por exemplo, no lombo, no entrecosto ou no chuleton de boi maturado a 40 dias. Na carta também não faltam pratos para partilhar (como as pataniscas de bacalhau ou o pica-pau, pastas (caso dos ravioli de beterraba, aveludado de feijão riscado e baunilha) ou saladas. Aos almoços de quarta-feira há sempre uma carta adicional de alta cozinha vegetariana, preparada pela green chef Sarah Maraval.

Já as sobremesas ficam a cargo do chef pasteleiro Luis Ascensão, que também não deixa os seus créditos em mãos alheias. Entre as tentações por ele criadas destacam-se, por exemplo, a mousse de rosas com líchias e sorvete de framboesa ou o bolo mousse de chocolate com sorvete de cerejas “Cova da Beira”. Antes de se despedir do InterContinental não deixe de passar pelo bar do hotel (também no piso térreo) - o UpTown - e conhecer a arte dos seus mixologistas. Juntos, gastronomia e cocktails prometem manter o Intercontinental Lisboa em alta.

 

2016-09-28
Seja o primeiro a avaliar